terça-feira, 27 de dezembro de 2011

|| PROMOÇÃO: Resultado do sorteio "Julieta Imortal"


Olá a todos que participaram do sorteio do livro Julieta Imortal, tive um pequeno problema na minha internet, mas já resolvelmos e sorteamos livro + bolsa.

O (a) ganhador (a) foi:

Deise Ramos da Silva - deisemat@xxxxxx.com

Parabéns, querida. Responda essa postagem e envie seu endereço para nosso email.
Estarei saindo de férias, mas assim que possível enviarei seus presentes.

Fiquem ligados que nova promoção vem aí.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

|| FILME: "A Coisa" - The Thing (2011)

Assisti recentemente um filme que me causou nostaugia assim que li a sinopse, pois me fez lembrar de minha infância em que assisti filmes ao lado do meu pai (ele também gostava de assistir Show de Calouros, apresentado por Silvio Santos - e eu sempre estava ao seu lado), pois assisti um filme como esse, protagonizado por Kurt Russel, que achei o máximo.

Não nego que gosto muito de filmes de terror e suspense (gosto esse passado a mim por minha mãe) e esse filme foi legal de assistir. Efeitos razoáveis, suspense em suspenção, sustos bacanas.

Para completar achei uma matéria legal sobre o filme que conta desde o conto original até o filme lançado atualmente. Crédito para o blog Capacitor Fantástico.

Confira abaixo a postagem "The Thing e suas várias versões"



O livro 

"O lugar fedia. Um mau cheiro pungente, que só as cabanas enterradas no gelo do acampamento na Antártida poderiam ter, composto por suor humano e óleo de gordura de foca derretida. A aplicação de linimento combatia o cheiro de mofo das roupas de neve suadas; o odor acre de gordura queimada vinha da cozinha, e o cheiro animal, não-desagradável, dos cães, diluído pelo tempo, pairava no ar. Odores remanescentes de óleo de máquina contrastavam fortemente com o cheiro dos trajes de couro. 

No entanto, de alguma forma, além de todos os odores de seres humanos e seus associados - cães, máquinas e cozinha - outra mácula sobressaia a todas estas. Um odor diferente dos cheiros da indústria e da vida. E era um cheiro de vida. Mas vinha da Coisa que estava amarrada com corda e lona, em cima da mesa, pingando lentamente, metodicamente sobre as pranchas pesadas, úmida e macilenta, sob o brilho direto da luz elétrica."

Assim começa 'Who Goes There?', o conto de ficção científica do escritor John W. Campbell, Jr. originalmente publicado sob o pseudônimo de Don A. Stuart, em agosto de 1938, na revista Astounding Stories. Em 1973 o conto foi escolhido pela Science Fiction Writers of America, como sendo um dos melhores contos de ficção científica já escrito, e foi novamente publicado no livro The Science Fiction Hall of Fame, Volume 2.


Sinopse do livro: Um grupo de pesquisadores científicos, isolados na Antártida, descobrem uma nave alienígena enterrada no gelo. Eles tentam descongelar o interior da nave espacial com uma carga de termite, mas acidentalmente acabam destruindo-a quando o casco de magnésio da nave é inflamado pela carga. No entanto, eles recuperam o piloto alienígena, que os pesquisadores acreditam que estava em busca de calor quando congelou. O descongelamento revive o ser, que pode assumir a forma, memórias e a personalidade de qualquer ser vivo que devora.

Os pesquisadores tentam então descobrir o alienígena entre eles, simplesmente referido como a Coisa, antes que possa escapar e dominar o mundo. Em última análise, eles percebem que mesmo pequenos pedaços do alienígena se comportam como organismos independentes, e utilizam essa fraqueza para testar quais os homens foram "convertidos", tomando amostras de sangue de todos na base e mergulhando um fio quente dentro do frasco de sangue. O sangue de cada homem é testado, um de cada vez, e o doador é imediatamente morto, quando o sangue se manifesta.

A Coisa original tinha (sem o conhecimento dos pesquisadores) assumido o controle de um homem chamado Blair, que por conta de um colapso nervoso, havia sido isolado em uma pequena cabana. Com os outros monstros dentro da base destruídos, os humanos sobreviventes entram na cabana para encontrar e matar a criatura original.

Leia o livro - Who Goes There? - John W. Campbell, Jr. [ Download ]




The Thing from Another World 

"O Monstro do Ártico" é um filme de 1951 e que foi adaptado por Charles Lederer, a partir do livro de Campbell. No filme, um cientísta conta a história de uma tripulação da Força Aérea e pesquisadores em um remoto posto avançado no Ártico, que lutam contra um alienígena malévolo, basicamente uma planta-vampiro.

Estrelado por Kenneth Tobey, Margaret Sheridan, Robert Cornthwaite e Douglas Spencer, foi dirigido por Howard Hawks e Christian Nyby, e lançado pela RKO Radio Pictures Inc.

O filme de Nyby é memorável por muitas razões, incluindo as cenas assustadoras em que os pesquisadores e a tripulação militar tentam retirar um OVNI que caiu sob o gelo, usando bombas termite. Presumivelmente devido a restrições de orçamento e os risíveis efeitos especiais da época, o ser alienígena (interpretado por James Arness), é um cruzamento de vampiro com um super vegetal humanoíde, utilizando-se do sangue das vítimas para irrigar sua prole, que cresce no jardim interno da base. A criatura é capaz de regenerar seus membros e é extremamente forte e voraz.

Na seqüência mais aterrorizante do filme, a criatura ataca os sobreviventes e depois de encharcado com gasolina, foge em chamas no deserto gelado. Mas retorna para um final, que lembra um pouco a morte da Bruxa Malvada do Oeste, em "O Mágico de Oz" (1939).



O lançamento coincidiu com a Guerra da Coréia e o auge do sentimento anti-comunista provocado pelo macarthismo e pelas ambições territoriais da Rússia de Stalin. A idéia de norte-americanos sendo perseguidos por uma força "destituída de moralidade" se encaixava bem para a época. O filme também reflete um ceticismo pós-Hiroshima sobre a ciência e os cientistas.

No final, são os bravos soldados americanos e o cientista sensato, que vencem o monstro.


The Thing 

Com o título em português de "O Enigma de Outro Mundo", o filme "The Thing" de 1982, dirigido por John Carpenter (roteiro de Bill Lancaster) com Kurt Russel no papel principal, é uma adaptação fiel do conto "Who Goes There?" de John W. Campbell Jr.

A história gira em torno de um alienígena que muda de forma e que se infiltra em uma estação de pesquisa científica na Antártica e mata a primeira equipe de pesquisa norueguesa. Uma equipe de pesquisadores americana nas proximidades é mandada para investigar o incidente e por sua vez é atacada pelo alienígena.



 A despeito dos memoráveis e nauseantes efeitos especiais de Rob Bottin ("The Howling") e o primoroso trabalho de maquiagem, a performance dos atores é pobre, e o filme não teve na época, uma boa bilheteria. Muitos fatores podem ser atribuídos, que incluem o lançamento de "ET, o Extra-Terrestre", uma visão mais otimista do contato alienígena. No entanto, com o passar dos anos, "O Enigma de Outro Mundo" tornou-se um 'cult', sendo várias vezes relançado no mercado de DVD e também na forma de um game em 2002.




The Thing

O filme "A Coisa" de 2011, do holandês Matthijs van Heijningen Jr., diretor de comerciais para televisão e videoclips (este é seu primeiro longa), conta no elenco com Mary Elizabeth Winstead ("Scott Pilgrim vs the World"), Joel Edgerton ("Warrior") e roteiro de Eric Heisserer ("Final Destination 5").

O filme carece das credenciais de seus antecessores e a história se passa meses antes dos acontecimentos vistos no filme de Carpenter, servindo de um prelúdio.





Sinopse:

Em um acampamento de pesquisa da Antártida, a descoberta acidental de uma nave alienígena, leva a um confronto entre a estudante de paleontologia Kate Lloyd e o cientista Dr. Sander Halvorson, do grupo original de pesquisadores noruegueses. Enquanto o Dr. Halvorson decide manter o foco de sua pesquisa, Kate e seus parceiros decidem investigar a forma de vida alienígena.

A criatura, acidentalmente despertada de sua prisão de gelo, tem a capacidade de se transformar em uma réplica perfeita de qualquer ser vivo. A paranóia se espalha como uma epidemia entre o grupo de pesquisadores e Kate se junta ao piloto de helicóptero da tripulação, Carter (Joel Edgerton), para tentar matá-la, enquanto a criatura aos poucos coloca humanos contra humanos, eliminando um por um.



quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

|| RESENHA: Depois da Escuridão - Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe


Depois da Escuridão

Título:  Depois da Escuridão
Autores: Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe

Editora: Record
Págs.: 464 

SINOPSE:
A doce e angelical Grace Brookstein é a socialite mais querida dos Estados Unidos e leva uma vida de princesa. Até o dia em que seu marido, o bilionário Lenny Brookstein, dono do fundo de hedge Quorum, sai para velejar e nunca mais retorna. Enquanto lida com a trágica morte do marido, um novo escândalo abala a vida de Grace: bilhões de dólares desaparecem do fundo Quorum, provocando a falência de milhares de famílias. Grace torna-se a principal suspeita e da noite para o dia sua vida se transforma. Determinada a provar sua inocência, Grace embarca numa jornada que revelará que ninguém a sua volta é digno de confiança.

-------------------------------------------

Já faz algum tempo que não leio nenhum livro do Sidney Sheldon, e também não lia nada no estilo dele há meses. Até começar a ler esse livro, que me surpreendeu positivamente.

A autora que "foi escolhida" para continuar o legado dele (não sei como alguém pode engolir isso) foi bem sucedida na trama e nos personagens. Lembrou-me muito o ótimo "Se Houver Amanhã" do Sheldon e sua protagonista Tracy Witney. O livro tem os ingredientes do grande autor supracitado. Muitos personagens fortes, que causam raiva e emoções controversas nos leitores, assassinatos, suspeitos, perseguições, escapadas e final envolvente e de tirar o fôlego.

Assim como Tracy, Grace Brookstein vai para a prisão e sofre horrores. Sai da prisão e vai em busca de vingança. Em alguns momentos nos deparamos com uma heroina a ponto de tornar-se uma assassina. Vemos a transformação de uma mulher ingênua em uma sagaz e em alguns momentos de sangue frio. Para mim "Se Houver Amanhã" é superior a esse livro, mas "Depois da Escuridão" tem suas qualidades. Muitos suspeitos e um caminho tortuoso para a heroína percorrer para tornar-se livre.

O livro me prendeu e pareceu ter sido escrito pelo mesmo autor de "Nada dura Para Sempre" e "Quem tem medo do Escuro?"

Recomendo aos fã do saudoso Sidney "intriga" Sheldon.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

|| SÉRIE: Fringe, em sua 4ª temporada, entra em hiatus.


Entrou em hiatus (férias) uma das melhores séries da atualidade (na minha opinião), Fringe.

Em sua 4ª temporada, Fringe está cada vez mais fazendo meus neurônios entrar em curto circuito. A trama traz mundos paralelos, transmorfos, tecnologia nunca antes vista, organizações secretas, etc. Enquanto Peter tenta ser reconhecido por aqueles que não mais lembram dele, Olivia sente que há algo de errado com ela e que de alguma forma suas emoções foram-lhe tiradas.

Creio que Fringe ainda vai deixar muita gente com a pulga atrás da orelha e de cabelo em pé com sua trama nada convencional.

A série só retorna dia 13 de janeiro de 2012 e já cria grande expectativa nos fãs.


quarta-feira, 30 de novembro de 2011

|| PROMOÇÃO: Sorteio do livro JULIETA IMORTAL, de Stacey Jay [Novo Conceito]

Estou lançando a promoção JULIETA IMORTAL, em parceria com a EDITORA NOVO CONCEITO.Postei a resenha do livro aqui no blog e pode ser acessada clicando aqui.

O livro é interessante e está dando o que falar no cenário literário brasileiro, pois envolve uma outra história já conhecida de muitos: Romeu e Julieta.

REGRAS:
-- Para participar você tem que ser seguidor do Blog pessoal Naasom A. Sousa;
-- Deve residir ou ter endereço no Brasil;
-- Deve preencher o formulário da promoção, clicando aqui.

Para ganhar pontos extras:
Se for nosso seguidor no Twitter [@naasom_a_sousa] preencha mais uma vez o formulário e envie;
Se for seguidor da Ed. Novo Conceito no Twitter [@novo_conceito] preencha mais uma vez o formulário e envie;
Divulgando em seu Twitter, Skoob, Facebook, Orkut, blog, preencha mais uma vez o formulário e envie (permitido apenas uma divulgação a cada 24 horas).

Se for divulgar no Twitter, poste a seguinte frase:

Naasom A. Sousa @naasom_a_sousa & @Novo_Conceito sorteiam o livro "Julieta Imortal" + Bolsa. Participe: http://migre.me/6hl7V

Se for divulgar em outras redes sociais, poste a seguinte frase:

Parceria Naasom A. Sousa & Editora Novo Conceito sorteiam o livro "Julieta Imortal" + Bolsa. Participe: http://migre.me/6hl7V 


As inscrições vão de 30/11/2011 até 22/12/2011.
O resultado será postado dia 25/12 no Blog Naasom A. Sousa.

Boa sorte aos participantes.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

|| GAME: "Uncharted 3 - Drake's Deception" exclusivo PS3

Jogão! Com gráficos extraordinários, ótima jogabilidade, mas...

Nessa noite, dia 28/11 finalizei um dos jogos mais aguardados de 2011: Uncharted 3: Drake's Deception.
Mais de 20 níveis de pura adrenalina, socos e tiros, fora um gráfico perfeito. Fiquei eufórico quando comecei a jogá-lo ouvindo os diálogos em meu próprio idioma: português brasileiro. Isso foi o máximo.

A jogabilidade dos jogos anteriores está presente assim como os personagens que já conhecemos (os que já jogaram os dois antecessores): Chloe, Elena e Sully, e a história envolve bastante esse último, pois enfatiza como Sully conheceu Nate e o laço de pai e filho que surgiu entre os dois.

A aventura desta vez já começa a tod, com Nate e Sully tentando vender o anel do velho Drake num bar. O negócio não dá certo e a pancadaria começa. Depois, ele seguem uma pista que pode levar ao tão esperado tesouro escondido de Drake. Não preciso dizer que isso vai levar nossos amigos a várias partes do mundo até um deserto onde a cidade de Salomão está escondida.

Os gráficos, em certos momentos, é de cair o queixo, simplesmente perfeitos. Mas devo dizer que a história e a aventura perde para o jogo anterior " Uncharted 2: Among Thieves", que é maior e mais cativante no que diz respeito a coisas novas.

Mas não se engane, Uncharted 3 não decepciona. É diversão e aventura garantidas.

Primeiro jogo da série.

Segundo jogo da série (o melhor, na minha opinião).

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

|| RESENHA: Julieta Imortal, de Stacey Jay [Novo Conceito]

FICHA TÉCNICA:
Título: Julieta Imortal
Autora: Stacey Jay
Páginas: 237
Ano: 2011
Editora: Novo Conceito

Sinopse: Julieta ama Romeu e Romeu por sua vez ama Julieta né? Não, não é bem assim!
Romeu é um homem cruel que inferniza a vida da pobre  Julieta a setecentos anos, desde que ele à sacrificou em troca de sua imortalidade.
Agora, Julieta é uma agente dos Embaixadores da Luz, que protege e se certifica de que as pessoas encontrem sua alma gêmea e que sejam felizes. Em contrapartida, Romeu está lá pra atrapalhar os planos de sua ex mulher. Quem vai levar a melhor?

-------------------------------------------------

Um grande título desse ano de 2011!
Esse livro prometeu desde a capa, e logo de cara, quando você lê a primeira página do livro você suspira e diz consigo mesmo: "Caramba! Realmente esse é um coração apaixonado, sem dúvida." As palavras são inebriantes que fazem o leitor sentir todo ardor de um momento mágico, romântico e íntimo. Nas páginas seguintes você é levado a cair vertiginosamente para um outro extremo: de escuridão, solidão, confusão. Assim é a vida de Julieta, que viveu momentos de puro desejo e amor, mas agora está como que em suspensão e de repente vivendo uma vida que não é a sua.

Agora ela é imortal e Romeu também, mas os dois trabalham de lados opostos. Ela está do lado do bem; ele do mal.

A missão dela é unir pessoas que se amam, almas gêmeas; a dele é fazer com que um mate o outro e faça parte do seu grupo, os Mercenários, vivendo para sempre a serviço do mal.

Nesse livro há algo de muito sombrio, ao estilo suspense e terror. Se você procura apenas romantismo numa narrativa esse não é o livro indicado. Fora o primento capítulo, que é pura sedução, os seguintes não continuam trazendo os mesmo sentimentos.

Julieta acorda no novo corpo, com uma nova missão, mas algo está errado, a moça cujo corpo ela se apodera está a ponto de ser violentada. Seu primeiro desafio é escapar...

Essa é apenas uma amostra do que essa ficção traz aos leitores. Ariel, a moça de quem Julieta tomou o corpo é tímida, retraída e carrega uma cicatriz no rosto. Com tantos problemas em casa e fora dela Julieta terá que fazer com que a vida de Ariel se torne melhor enquanto ela descobre quem ela deve proteger e unir (as almas gêmeas), mas logo Romeu aparece e a vida de Julieta se torna ainda mais difícil.

Logo Julieta é perseguida por seu antigo amor, que diferente da peça escrita por Shakespeare, não morreu por ela, mas matou para ser imortal. Agora Romeu está disposto a se aproximar novamente de Julieta, dessa vez ele alega que os dois estão correndo perigo e só unidos poderão sobreviver.

Julieta Imortal é diferente de tudo o que já li. Apesar de ser baseado nos personagens da peça, o enredo é diferente e os personagens são apresentados de forma diferente. Esse livro retrata o amor, a amizade, as desilusões e dificuldades na vida dos adolescentes, entre outras coisas, mas principalmente aborda o sobrenatural. Para quem é fã desse estilo de narrativa é prato cheio na certa.

Acesse o site da Editora Novo Conceito e veja outros ótimos título para você se deliciar na leitura.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

|| RESENHA: A Negociadora, de Dee Henderson (United Press)

Ficha Técnica
Título: A Negociadora
Título original: The Negotiator
Autora: Dee Henderson
Editora: United Press
Ano: 2003
Páginas: 404

Sinopse: Kate O'Malley, policial especializada em negociações que envolvem reféns, altos riscos e ameaças, tornou-se quase uma lenda por sua habilidade em obter acordos bem sucedidos, mesmo desafiando as condições mais desesperadoras e chocantes.


Desde seu primeiro encontro, resultante de um assalto a banco, Kate e seu colega, o agente do FBI Dave Richman, atuam em parceria. E, embora dotados de personalidades antagônicas, sentem um pelo outro uma inexplicável atração. Dave, por exemplo, tem tudo para perder sua fé em Deus, mas não a perde; enquanto Kate é a própria descrença em pessoa. Mas será que, diante de uma situação tão inusitada que se lhes apresenta, conseguirão juntos enfrentar e superar os perigos que os aguardam? Como poderá Dave abrir mão da necessidade de proteger Kate, se justamente o trabalho dela é o de arriscar constantemente a própria vida?
Uma coisa, porém, Dave não tem como evitar: que um segredo de Kate O'Malley venha à tona, do passado, para persegui-la - e até ameaçá-la de morte.



Bem... por onde eu começo? Pelo começo seria ótimo, você pode dizer. Mas não é tão fácil para mim resenhar esse livro, pois vi muitas resenhas falando bem dele, e, na verdade, tenho algumas ressalvas a fazer.



terça-feira, 17 de maio de 2011

|| DICA/LIVROS: Pechincha de livros!!


Olá a todos os amigos, seguidores e visitantes desse humilde blog.
Venho através desta postagem anunciar que, por motivos pessoais, estou pondo à venda alguns de meus livros a quem se interessar.
São livros, em sua maioria, de temática cristã (tem também alguns seculares) e estão bem abaixo do preço de mercado.
Sim, são usados, mas em excelentes condições, pois sempre tive cuidado com meus livros. Os mais atuais, então, estão como novos.

Quem estiver curioso e/ou interessado dê um CLIQUE AQUI e confira.

Para quaisquer informações adicionais, mandem-me um e-mail.
Abraço a todos.

Naasom A. Sousa
Fundador e Administrador dos blogs
http://letrassantas.blogspot.com/
http://ficcaoevangelica.blogspot.com
Blog pessoal
http://naasomcristao.blogspot.com
Email/MSN(Messenger): letrassantas@hotmail.com
Twitter: @naasom_a_sousa
Toda Glória, honra e louvor a Jesus, o Rei dos reis!

|| CRÍTICA: Smallville chega ao fim.

Ontem assisti o último episódio de Smallville, que é uma série que mostra a vida de Clark Kent da adolescência até a vida adulta, quando, enfim, veste o uniforme que imortalizou o herói Superman, criado por Jerry Siegel e Joe Shuster. Foram longas 10 temporadas que vão deixar saudade. Tive bons momentos acompanhando a tragetória dos atores envolvidos na trama: Tom Welling (Clark), Allison Mack (Chloe), Michael Rosenbaum (Lex), Erica Durance (Lois), Kristin Kreuk (Lana), Justin Hartley (Oliver), Laura Vandervoort (Kara), John Glover (Lionel), Annette O'Toole (Martha), John Schneider (Jonathan), Sam Jones III (Pete), entre outros que apareceram ao longo das temporadas.

Seria muito dispendioso falar aqui de todas as temporadas aqui e agora, até porque não tenho tempo para isso, por mais que gostaria. Escolhi então a falar dessa 10ª temporada e do último episódio.

A 10ª temporada, devo dizer, foi uma das piores, pois foi um monte de coisa acontecendo quase que ao mesmo tempo. Alguns novos heróis despontando, personagens reaparecendo e uma intriga complexa para que o vilão Darkside aparecesse. Para se ter uma idéia, uma nuvem negra surgiu (creio que da zona fantasma) e começou a possuir pessoas (que se tornaram profetas) para abrir caminho para a vinda do vilão. De repente até Zod, que reapareceu em um dos últimos episódios, foi contactado por Darkside e estava do lado deste. Também vemos o Oliver (Arqueiro-Verde) debandando para o lado negro da força. Foi uma confusão na minha cabeça às vezes que era difícil conectar alguns fatos. Quero deixar claro que me senti assim também na 9ª temporada.

Mas algo que gostei foi a criação do personagem Clark Kent atrapalhado pela Lois, entre outras coisas. Essa temporada serviu, mais que as outras para que Clark deslumbrasse realmente o que deveria fazer. Vou pular agora para falar do último episódio, senão vou acabar falando dele já daqui.

O último episódio foi longo: 2h com propaganda; 1h e 23min. sem propaganda. Foi meigo, pois as declarações de Clark para Lois e vice-versa foi emocionante. Foi empolgante, pois Lex ressurge e Michael Rosenbaum deu o ar da graça novamente, como sempre, impecável. Um pouco enfadonho nas partes em que Jonathan aparece (um fantasma?) para falar com Clark (Porque as pessoas adoram colocar pessoas mortas para falar nas novelas, filmes e séries, ein? Bíblia neles!)... e SIM! Enfim Clark voou!!!!! Mas não foi tão maravilhoso assim. Achei o voo da quarta temporada muuuuuito melhor que esse. Os efeitos não foram dignos de um episódio final da série, assim como a luta final com o vilão que, como sempre, deixou - e muito - a desejar. Ah... uma coisa legalque achei foi, enfim, a música tema do Superman tocando no original. Muito bacana. Enfim, foi um episódio razoável, sem grandes revelações ou momentos memoráveis. Excepcionalmente melhor do que o final de Lost, pelo menos.

Smallville vai deixar saudade porque foi um divertimento ao longo de uma década! Caramba! Não vai ser um episódio ou outro, ou uma temporada ou outra que vai manchar essa série histórica.

Abaixo mostro todas as capas das nove temporadas anteriores de Smallville:

  

  

 

Goog bye Smallville.

|| FRASE: Martin Luther King

Recebi esse pensamento hoje em meu email que me levou à reflexão. É tempo de nos expressarmos de forma que venhamos a levar o maior número de pessoas a rever seus conceitos, deixarem seus caminhos maus; levá-los a Cristo. Expressarmo-nos para denunciar as coisas erradas, não nos calando ou nos acovardando ou cobrindo o pecado que assola a humanidade.







"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética.
O que mais preocupa é o silêncio dos bons."
 
Martin Luther King

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Livros e Marcadores recebidos no mês de abril/2011

Recebi alguns livros muito interessantes de parceiros, amigos, através de promoções de blogs e trocas no site http://www.livralivro.com.br/. Sem enrolação posto as fotos das maravilhas em meu "poder".


4 marcadores ganhos no sorteio do blog Dicas de Livros e Filmes
do casal Gisele e Rafael.

Acreditam que ganhei todos esses livros de uma amiga?


Esses aqui também. Disse a essa amiga (Tielly) que gostava muito dos livros do Sidney Sheldon.
Quando ela se mudou para outro município deixou-me essas maravilhas.

Esse livro troquei no site livralivro.com.br
Fiquei louco para adquirir depois de ler O Reverso da Medalha.

Em parceria com a Editora Rhema recebemos essas 3 HQ's
Turma da Melita - ótimo para crianças com aprendizagem certa.

Também da Ed. Rhema. 3 livros escatológicos.


Esse livro tem a arte da capa maravilhoso. Também um livro de escatologia
da Editora Rhema.

Bem, por enquanto é isso. Mais novidades em breve.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

|| RESENHA: Strange Angels – Lili St. Crow

Ficha Técnica:

Strange Angels (Idem)

Autora: Lili St. Crow

Editora: Novo Século

Páginas: 288


SINOPSE:

O Mundo Real é um lugar apavorante. Basta perguntar para Dru Anderson, uma órfã de 16 anos - garota durona que já acabou com sua parcela de bandidos. Ela está armada, é perigosa e está pronta para atirar primeiro e perguntar depois. Então, vai levar um tempo até que ela possa descobrir em quem confiar. Dru Anderson se acha estranha por mais tempo do que é capaz de se lembrar. Ela viaja de cidade em cidade com seu pai, caçando coisas que nos aterrorizam à noite. Era uma vida bem esquisita, mas boa - até que tudo explode em uma cidade gélida e arruinada de Dakota, quando um zumbi faminto arromba a porta da cozinha. Sozinha, aterrorizada e sem saída, Dru vai precisar de cada pedacinho de sua esperteza e treinamento para continuar viva. Seres sobrenaturais decidiram ser os caçadores - e desta vez, Dru é a presa. Chance de sobrevivência? De pouca a nenhuma.



Dru Anderson vive sozinha com o pai. A mãe morreu, ou melhor, foi assassinada por uma criatura sombria quando Dru era apenas uma criancinha. Com o pai, Dru vive se mudando, pois após terminar um trabalho, é o melhor a se fazer.


Nesse livro, conhecemos a vida (parece uma vida super-infeliz) da adolescente de 17 anos, onde viver significa estar sempre alerta aos acontecimentos da “vida real”, que a maioria das pessoas não conhece, onde existem vampiros, lobisomens, cobras aladas, zumbis etc. E é nesse mundo assustador que acompanhamos o pesadelo que Dru começa a viver, quando, subitamente, o pai dela se torna um zumbi e ataca a própria filha, que tem que mata-lo antes de ser devorada viva. Logo ela percebe que ele foi transformado por alguém, que também a quer morta.


Entram na vida de de Dru, um garoto gótico, que acaba sendo mordido por um lobisomem e transformado em um; e um vampiro, que sabe muito mais sobre Dru do que ela mesma.


Fiquei interessado nesse livro pela sinopse. Achei que uma aventura interessante poderia surgir daí. Um mundo cheio de criaturas que poderiam estar numa luta pela sobrevivência ou pelo poder... e uma garota no meio disso tudo. Mas o que encontrei foi uma narrativa em primeira pessoa de uma adolescente enjoada toda a vida. Antes de falar qualquer coisa ela pensa em algo diferente ou faz uma pergunta ou chama um palavrão. Nada engraçado. Os pensamentos dela são repetitivos, principalmente no que diz respeito ao confronto dela com o pai zumbi. A todo instante ela lembra dele e de como teve que mata-lo. Tornou-se enjoativo e depois de um tempo começou a me dar nos nervos. Não houve muita ação. E quando aconteceu achei um pouco confuso, principalmente no final, onde se juntaram vampiro com lobisomens do mesmo lado.


Para o primeiro livro de uma série achei que foi muuuito fraco. Poderia ser muito melhor. Depois dos primeiros capítulos, achei até que estava lendo um episódio de Supernatural (série Sobrenatural, que passou no SBT), nada de muito novo, surpreendente. Espero que o segundo livro possa ser melhor, muito melhor do que esse. Entretanto não sei se posso esperar algo mais.


Abaixo todas as capas da série composta por quatro livros:



O Nosso Deus é Fiel - Kléber Lucas (2011)

http://www.anoticiagospel.com.br/wp-content/uploads/kleber-300x291.jpg

Sempre que tomo conhecimento de que um novo trabalho de Kleber Lucas está para ser lançado, fico ansioso para ouvir as novas canções que certamente serão tocadas e apreciadas em todo o Brasil, pois assim tem sido ao longo da carreira dele. Acredito que todos os seus álbuns foram sucesso (para mim excluo o cd "Comunhão - para aqueles que te amam", pois não me agradou) porque suas músicas têm alcançado corações, tocando-os profundamente.

Agora ouvi as músicas do seu novo cd "O nosso Deus é fiel" e, à primeira "conferida" tenho que dizer que me decepcionei. Creio que o tempo das batidas e dos ritmos dos primeiros álbuns do cantor foram esquecidos. Por um momento fiquei saudoso de "Pra valer a Pena", "Muito mais de Deus", "Vimos adorar", "Vou seguir com fé", "Liberto pelo teu amor", "Deus forte", "O melhor de Deus está por vir" etc.

Nenhuma música desse novo Cd me deu vontade de dançar e, das 12 canções, apenas algumas poucas chamaram minha atenção: "Me diz quem é", "Só preciso te ouvir" e "Nosso Deus é fiel". Não estou dizendo que o disco seja ruim, mas já houve trabalhos muuuuito (acho que estou usando muito essa expressão) melhores.

Espero que no ano que vem ou quando for lançado um novo projeto, a pegada que tanto gosto esteja de volta.

Abaixo alguns dos antigos álbuns de Kleber Lucas:


[KLEBER.JPG]

segunda-feira, 9 de maio de 2011

|| RESENHA: O Livro de Eli (2010)

Ficha Técnica:
O Livro de Eli (The Book of Eli)
Direção: Albert Hughes e Allen Hughes 
Gênero: Aventura
Duração: 118 min.
Distribuidora: Sony Pictures
Ano: 2010.
Elenco: Denzel Washington, Mila Kunis, Michael Gambon, Jennifer Beals, Gary Oldman, Evan Jones, Ray Stevenson.

Sinopse: Denzel Washington (O Gangster) estrela esse filme dirigido pelos irmãos Allen e Albert Hughes (Do Inferno). Num mundo pós-apocalíptico Eli (Denzel) é um homem solitário que tem de proteger um livro sagrado que pode conter a resposta para salvação da humanidade, mas como todo herói tem seu algoz nessa história não é diferente e para poder obter o livro, um tirano prefeito de uma pequena cidade (Gary Oldman) fará de tudo, mesmo que para isso tenha de matar Eli.




Custei para assistir esse filme e me arrependi. Espere, não seja precipitado. Arrependo-me por não tê-lo visto antes. Eli é o tipo do cara sincero, na sua, que não gosta e nem quer confusão e que tem um objetivo. Levar uma mensagem para uma cidade que está ao oeste.

Depois de uma explosão (provavelmente nuclear) ocorrida durante a última gerra (provavelmente a 3º guerra mundial) o sol castigou, matando e cegando muitas pessoas em todo o mundo. Poucos livros restaram então. A Bíblia, nem se fala. Foi praticamente extinta. A não ser por uma, que é exatamente a que Eli leva escondida na sua mochila. A explicação da extinção da Bíblia é que, por causa das religiões terem sido o estopim para a grande guerra, acabaram sendo queimadas pelos seus detentores.
O vilão está em busca desse livro sagrado, que tem o poder de conceder aquele que o possui uma fórmula para, através da palavra, submeter as pessoas ao seu domínio.

Gostei de ver as duas utilidades da Bíblia retratadas no filme: 1) Uma fonte para levar as pessoas à redenção, à graça de Deus, sua proteção e salvação. 2) Um instrumento para fazer que, através dela, as pessoas confiem em você e façam aquilo que você quer. Foi assim no passado com a igreja católica, é assim hoje no meio de alguns segmentos evangélicos etc.


Creio que o importante no filme é a imagem do homem que confia em Deus, ouve e reconhece sua voz e a obedece. Eli é a imagem de um profeta que leva a Palavra e a justiça. Sim, o filme é um tanto violento, mas num mundo onde não há mais regras nem leis e o mais forte predomina, se defender é o mínimo que se pode fazer e lei faz isso. Não ataca a não ser que seja atacado.

O livro de Eli é um filme de ação, mas traz uma carga de drama e de evangelismo onde a Bíblia é o centro das atenções. Por isso li alguns comentários em blogs que diziam que se tratava de um filme evangélico vestido de filme de ação. Não tenho como negar que seja isso mesmo, ainda que implicitamente e de uma ótima maneira.

No final do filme fiquei emocionado quando Eli recita um lindo trecho da Palavra de Deus: "Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé".

Recomendo o filme a todos.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Kezia Lobo fala sobre o lançamento de ‘O Coracao de Salatiel’

Confira a entrevista com a blogueira e escritora Kézia Lobo, autora do livro O Coração de Salatiel, novo lançamento da Editora Dracaena.

1 – Quem é Kézia Lobo?

Paraense de nascimento, mas gaúcha de coração. Viciada em chocolate, leitora compulsiva e cinéfila. Uma pessoa bastante sonhadora, que vive uma parte do tempo em um mundo surreal, mas bem centrada na realidade. Gosto muito de tudo que seja relacionado à Arte, como a escrita, pintura, música. Tudo que explore a bela capacidade que o ser humano tem de criar e recriar. Sou muito família e amigos e acredito demais em Deus.

2 – Como escritora, quais são os autores que lhe serviram de influência?

Curto todos os tipos de literaturas, mas as que se baseiam na Fantasia e no Sobrenatural são os meus preferidos. J. R. R. Tolkien, C. S. Lewis e Frank Peretti são as minhas referências.

3 – Cite 5 livros que você considera ser indispensável.

A Bíblia, O Morro dos Ventos Uivantes de Emily Brontë, A Trilogia O Senhor dos Anéis de Tolkien e Orgulho e Preconceito de Jane Austen.

4– Você está lançando seu primeiro livro pela Editora Dracaena, fale um pouco sobre o livro ‘O Coração de Salatiel’.

Por ser muito fã de Tolkien, simplesmente queria criar uma historia baseada na fantasia, O Coração de Salatiel surgiu com a ideia de um colar mágico onde tivesse metade do coração de um ser poderoso.

Um dia estava assistido a jornal da noite, havia uma noticia que falava da Montanha das Sete Cores de Purmamarca que fica na Argentina e tem uma historia meio mística, gostei demais do nome da montanha, dae veio toda a inspiração completa para começar a escrever O Coração de Salatiel (vocês irão entender quando lerem a história).

Depois disso o resto da narrativa começou a fluir com mais facilidade, com toda a historia pronta, comecei a escrever. Lenora é portadora desse coração mágico e é uma elemental do Ar, só que os humanos elementais estão quase extintos em Galahar e ela precisa esconder isso.

Ela inesperadamente recebe esse lendário colar e desencadeia uma sucessão de acontecimentos. Pois Malghalad o rei de Galahar, deseja essa joia ardentemente. Ela conhece pessoas diferentes e vive altas aventuras.

5 – O que os leitores podem esperar desse trabalho?

Como é o meu primeiro trabalho, estou muito ansiosa, pois a aceitação dos leitores é fundamental. Tentei escrever da melhor maneira possível, coloquei bastante aventura e ação, algumas lições de aprendizagem, muita magia e tentei não deixar a história muito previsível.

6 – Como foi o processo de escrever um livro e buscar uma editora que o publicasse?

Escrever no começo foi difícil, já vi vários comentários de pessoas dizendo que é fácil escrever um livro, mas na minha humilde opinião, não é tão simples assim.

Requer muita concentração e paciência, e tem que ter uma boa base da história que se vai contar para o enredo poder deslanchar, sem contar que dependendo do que o autor vai escrever, tem que ter uma boa pesquisa e cuidado com as palavras.

Mas apenas no início tive certa dificuldade, depois a história fluiu bem.

Quanto ao processo de uma busca por uma editora, foi bem trabalhoso, pois terminei de escrever ele em dezembro de 2009 e enviei os originais para varias editoras, sendo aceito por apenas duas.

Têm várias editoras que abrem espaço para autores nacionais iniciantes, mas como blogueira literária, lia algumas criticas com o descaso que algumas dessas editoras tem para com os novos autores e a falta de investimento neles, mostrando certa falta de responsabilidade com a obra publicada, isso também conta muito na hora de escolher uma editora, então ficava muito receosa.

Sem contar que as grandes editoras dificilmente abrem espaço para os novos autores.

Esperei até encontrar a Dracaena, que me passou credibilidade e um interesse real de querer publicar minha obra por achar que era boa, e não por apenas publicar.

7 – A editora Dracaena irá distribuir o seu livro á nível nacional e internacional, o que você espera com isso?

Bah! Isso é muita responsabilidade, pois abrange o número de leitores que passarão a conhecer a minha obra, mas também abre uma oportunidade imensa em relação a continuar escrevendo, pois na próxima criação terei muito mais leitores e credibilidade.

E claro que traz uma oportunidade única de (quem sabe) fazer sucesso que nem os escritores estrangeiros fazem aqui no Brasil.

8 – Que dica você daria aos novos autores que estão em busca de “um lugar ao sol” e que sonham em ter seu livro publicado?

Escrevam o que gostam ou o a literatura que mais se identificam, mas sempre pensando no que os seus futuros leitores esperam de vocês, pois atualmente temos tido leitores rigorosos e autocríticos, pois querem diversão com qualidade e uma boa historia para ler.

Procurem uma editora que valorizem o trabalho de vocês, que não publiquem apenas por publicar. E se vocês mandarem os originais para 10 editoras, não desistam, se tiver que reenviar, faça isso, pois muitas delas devolvem os originais sem ao menos terem lido a sua obra.

Mas não desistam enviam quantos originais para quantas editoras puderam, que uma com certeza vai acabar lendo e gostando! E escrevam e leiam bastante.

9 – Para os interessados em comprar o seu livro, como devem proceder?

Bom, podem comprar pelo site www.dracaena.com.br ou pelas lojas:

Livrarias Saraiva : http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/3440501/o-coracao-de-salatiel/?ID=BD70BD3F7DB040B0B0F1E0507

Siciliano: http://www.siciliano.com.br/produto/3440501/o-coracao-de-salatiel/3440501?ID=BB370F127DB040D0A0C360762&FIL_ID=102

Loja Singular: http://www.lojasingular.com.br/o-corac-o-de-salatiel_9788564469136.html

Submarino: http://www.submarino.com.br/

Em breve divulgarei links de outras lojas pois o livro ainda está em processo de cadastro em várias delas.

10 – Deixe um recado aos nossos leitores.

Ae Galerinha linda! Valeu por acompanharem essa conversa. Espero que gostem do meu livro. Desejo tudo de bom pra vocês, pois sem vocês nós escritores não somos nada! E que tudo que desejarem se torne realidade! XD


Conheça a autora e seu Blog : http://ofantasticomundodaarte.blogspot.com/

Incentive os novos autores nacionais comprando esse livro.

Being Human US - 1ª Temporada


Título: Being Human US
Ano: 2010-2011
SINOPSE: A história apresenta o vampiro Aidan (Sam Witwer), o lobisomen Josh (Sam Hutington) e a fantasma Sally (Meaghan Rath), dividindo um apartamento em Boston. Lutando para conseguir lidar com seus problemas pessoais, o trio tenta manter em segredo sua condições sobrenaturais. No elenco também está Mark Pellegrino, como o vampiro Bishop, o mentor de Aidan.



Quando vi o cartaz de Being Human US (BH-US) pensei logo o seguinte: "Mais uma série de vampiros? A tv já está sendo repetitiva, assim como as infinitas séries de livros que saem atualmente..." Mas, mesmo assim, resolvi assistir o 1º episódio, que não achei grande coisa, a não ser pelo final onde Josh, o lobisomem fica preso um "quarto forte" com a própria irmã na hora em vai se transformar. Isso já me deixou um pouco curioso para assistir o 2º episódio. Foi a partir desse que não consegui mais parar de ver essa série.

Não se trata mais de uma história sobre vampiros e lobisomens. Trata-se de uma amizade que ultrapassa a anormalidade e da vontade de ser normal (humano), mesmo estando "fadado" a ser algo abominável.

Essa primeira temporada, que teve apenas 13 episódios (acho que é uma premissa das séries originadas no Reino Unido - e BH-US é uma versão americana da série originada no Reino Unido - Being Human [UK]) narra a história do vampiro Aidan e do lobisomem Josh, e de como encontraram a fantasma Sally na casa que os dois alugaram para terem uma vida "normal" apesar de suas condições nada humanas.

Aidan, o vampiro, é um assassino que sempre está sedento por sangue, mas depois que mata alguém, principalmente mulheres, se sente inundado pela culpa. Por isso, agora se recusa morder humanos, virando "vegetariano", tomando sangue apenas de bolsas de sangue do hospital onde trabalha como enfermeiro.

Josh é o lobisomem. Tímido e inseguro. É o tipo de cara que é leal e tem medo de machucar as pessoas que ama. Ele fará de tudo para que sua nova vida e do amigo vampiro deem certo.

Sally, a fantasma, está presa ao mundo dos vivos e, principalmente, à casa onde vivia com o noivo. Algo a está segurando por aqui. No entanto, após ela descobrir a causa de sua própria morte, faz ficar obsecada por vingança, o que será um problema para a sua "passagem".

Cada um dos personagens tem o seu problema; tem algo do qual está fugindo; tem algo pelo qual lutar. E principalmente está ligado, intimamente, com a vida e com a morte.

Sem dúvida é uma série diferente do estilo vilão e mocinho; romance e desencontros. A série é um drama que mexe com os espectadores e tenta passar sentimentos de amizade, confiança e esperança. A trilha sonora também é muito legal e os episódios sempre trazem monólogos no início que falam de lembranças, perdas e ganhos. Para quem não assistiu ou não conhecia ainda, recomendo.

Nota: 9

Os atores de Being Human US

O cartaz com os atores de BH - Reino Unido

quarta-feira, 13 de abril de 2011

A invasão do Mundo: A Batalha de Los Angeles (2011)


Assisti ao filme A invasão do Mundo: A Batalha de Los Angeles ontem à noite.

SINOPSE: A Terra está sendo invadida por meteoros que apareceram de uma hora para a outra, e estão sendo direcionados para os litorais. Os estudiosos encontraram peculiaridades estranhas nesses meteoros e as forças militares americanas são convocadas para servirem.

Criei uma grande expectativa antes de vê-lo. Quando o filme começou porém, vi que era ao inverso do que eu imaginava. O filme é muuuito diferente de Idependence Day (creio que o melhor filme de invasão que já assisti, sem não me engano) e a todo instante vemos destruição e o poder mortal das armas aliens. O enredo é pautado no massacre da humanidade. Não há uma parte em que os humanos vencem a não ser no final, que, por acaso, descobrem um tipo de antena que comanda as naves - que não são tripuladas.

Os efeitos especiais são bons, mas não me deixaram de queixo caido. E ao final do filme parece que o filme foi feito com intenção militar. A mensagem é algo do tipo: "Ei, somos os caras! Não comemos, não dormimos. Somos verdadeiras máquinas de guerra. Dane-se o resto. Sacrifique-se sempre." Esse tipo de coisa. Para se ter uma idéia, minha esposa foi dormir antes do final dizendo que o filme não lhe agadou, pois a ação era sempre a mesma: tiros e os aliens vencendo.

Achei o tipo de filme de guerra com ficção científica como pano de fundo. Em todo caso, não achei-o de todo ruim, mas faltou algo mais para se tornar um dos meus favoritos.

Nota: 7

Invasão do Mundo: Batalha de Los Angeles