segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Contar uma estória faz a diferença

Essa foi uma experiência única. Aconteceu com minha filha, quando estávamos em frente à igreja. Eu tinha voltado da faculdade mais cedo e segurei-a enquanto a minha esposa estava participando da reunião do grupo de mulheres.

Como sempre, a Adayla me pediu esperançosa e com brilho nos olhos: "Pai, conta tóia" (conta estória). E como sempre eu contava estória de bichos - jumento, cachorro, leão, gato, etc... -, mas resolvi contar uma estória diferente. Comecei:

"Era uma vez um menino e o nome dele é Tico..."

Falei que o Tico era um menino bonzinho, que tinha um gatinho e um cachorro. Cada vez que mencionava os bichos pedia para ela imitá-los. Uma graça!! Foi então que passei a dizer que Tico era obediente aos seus pais. Que não fazia xixi na cama à noite. Que antes de dormir, fazia xixi e escovava os dentes. Ela estava ipnotizada. Aproveitei e falei que o Tico comia toda a comidinha que a mamãe dele colocava no prato (ela estava muito ruim pra comer qualquer comida caseira) e que ele não se importava tanto em "tomar petuta" (é como ela chama o ato mamar. Minha esposa às vezes não aguenta, pois a Adayla quer toda hora ficar pendurada no seio dela.) Toda vez que eu falava agora novo do tal Tico, perguntava se ela entendia aquilo. Ela dizia que sim acentindo com a cabecinha.

A reunião acabou e fomos para casa. Tudo normal. Mas quando chegou a hora de jantarmos a pequena Adayla soltou:

"O 'Tito' come cumidinha, né pai?"

Eu não aguentei e soltei uma gargalhada. Disse a ela: "É, minha filha. O Tico come tudo antes de dormir."

Depois, quando chegou o momento de escovar os dentes: "O 'Tito cova' dentinho, pai?"

Mais uma vez eu concordei, alegre. O interessante é que daquele dia até hoje ela menciona o tal Tico pra tudo.

"O 'Tito' passa perfume, né pai?"
"O 'Tito pentia' o 'tabelo'?"

E por aí vai...

Dei-me conta do quão importante é ocupar a mente das crianças com estórias orais sadias e de cunho educativo, sempre focando a realidade e necessidade delas. Isso certamente pode auxiliar os pais nas questões mais corriqueiras. Não se esqueça... uma estória bem contada faz a diferença. O "Tito" que o diga.

Um comentário:

camila disse...

Meu amigo sem dúvidas você é um exemplo de paizão!!!!!Adorei conhecer o Tito, quando eu tiver meus filhos vou seguir seus passos na educação deles e vou contar a história do Tito......